03/04/2014

OLÁ & OBRIGADO


Poucas coisas irritam-me.  > pausa <  Quem é que eu estou a enganar. Muitas coisas irritam-me. Mas uma das coisas que me irritam mais é a falta de educação. Quando falo de falta de educação, não falo de palavrões nem "etiquette" à mesa nem formação académica. Falo de duas palavras em particular que muita gente nesta terra tem dificuldade em dizer. "Olá" e "Obrigado".

A  mais recente escola do meu filho tem sido uma boa surpresa. Sinto que o meu filho tem crescido no sentido correcto, aprendido muito e bem, e tem sido respeitado e acarinhado. As educadoras muito competentes. Em todos os sentidos. No sentido técnico e humano. Não podia estar mais satisfeito.

Também faço questão que o meu filho, apesar dos três anos, seja educado e respeite todos. Colegas, educadoras, senhoras da limpeza e pais. Faço questão que ele se despeça todos os dias das educadoras. E faço questão que se despeça também dos colegas com um "até amanhã amigos" colectivo. Também já reparei que sou o único pai a pedir ao meu filho para se despedir dos colegas. E isso leva-nos ao ponto que quero chegar. A má educação e falta de civismo de alguns pais dos colegas do meu filho é para mim difícil de assimilar. Já era assim também na anterior escola dele. Alguns pais antipáticos, arrogantes, de cara fechada, mal-educados. Uns parolos portanto. Dois exemplos:

Ex. 1: O outro dia estava a chover. E bem. Tinha deixado o meu filho na escola de manhã e estava a saír pelo portão da escola, quando reparo que vem uma mãe com o seu filho (colega do meu) no passeio para entrar. O portão da escola tranca automaticamente quando se fecha, sendo obrigatório tocar na campainha e esperar que através da videovigilância alguém lá de dentro o destranque. Por isso, e como estava a chover muito, fiquei a segurar o portão, à chuva, para que a mãe e o seu filho entrassem logo sem terem de estar à chuva à espera que alguém lhes destrancasse o portão. Quando eles estão a chegar ao pé de mim, eu digo-lhes bom dia de sorriso na cara. Qual não é a minha surpresa quando a mãe passa por mim com o seu filho, entra pelo portão que eu estava a segurar, à chuva, sem me dizer nem bom dia nem obrigado. Fiquei ali com cara de otário, tipo porteiro, a pingar à chuva.

Ex. 2: Ontem estava a entrar na escola do meu filho e cruzo-me com a mãe de 2 miúdos. Que só por acaso, já conhecia de vista do meu tempo de liceu. Ofereci um olá, e ela, de mão dada com os seus 2 filhos, olhou para mim e virou a cara e seguiu. Sem olá nem nada. Um exemplo do caraças para os filhos.

Estes são só 2 exemplos. Porque a falta de civismo de alguns pais dos colegas do meu filho é seriamente impressionante e constante. São muitas as vezes que passam e não cumprimentam. Muitas as vezes que são incapazes de oferecer um obrigado quando seguro a porta e os deixo entrar primeiro. Muitos os que estacionam os carros em cima da passadeira em frente à escola porque são incapazes de estacionar um pouco mais à frente e andar 10 metros. E não há um que eu tenha visto que diga ao filho ou à filha para se despedir dos colegas. Que são os seus companheiros e amigos do dia-a-dia.

Vivi muitos anos nos EUA. São isto e são aquilo. Mas o espírito de comunidade e fraternidade mete-nos a um canto. E não é só nos bairros pequenos. Até em cidades como NYC. Em geral, as pessoas têm sempre uma palavra amiga para dizer. Um olá. Um sorriso. Um obrigado. Um por favor. Um com licença. Uma piada.

Aqui, bom, é a merda que se vê. Curiosamente aqui, quanto menos "diferenciada" é a pessoa, mais simpática e educada é. Vivi em Alfama uns anos e aquela gente mais simples é de uma simpatia e educação incríveis. Já os meninos licenciados de pais endinheirados que por lá viviam eram uns verdadeiros estupores.

Mas voltando à história, e porque quero que o meu filho entenda bem e perceba a diferença entre o que é correcto e o que não é, vou passar a usar os exemplos de má educação dos pais dos colegas dele para lhe mostrar o que não deve ser feito. Portanto a próxima vez que um pai ou uma mãe passar por mim e não me devolver um olá ou um obrigado, vou dizer alto e no momento "vês filho, isto é má educação. Não deve ser feito. Devemos sempre responder olá e dizer obrigado. A todas as pessoas".


Nota:
Apesar de alguns pais mal-educados, também os há muito educados e simpáticos. Eles sabem quem são. E os outros também. Aos educados e simpáticos quero dizer olá e obrigado por serem um exemplo de cidadania para os vossos filhos e para os filhos dos outros. Para os que não são, quero dizer olá e obrigado por serem um exemplo do que não ser e evitar fazer. Afinal, também servem para alguma coisa.

55 comentários:

  1. Agora deixou-me a pensar!
    Tento ser cordial, disponível e educada com toda a gente e faço de tudo para que o meu "Piqueno" também seja. Partilho a sua irritação e das muitas figuras de otária que tenho feito ao segurar portas para deixar gente sem formação (moral) passar. Incuto sempre a necessidade do "faz favor" e "obrigado" e do beijinho à chegada e à saída. Do bom dia e do até amanhã....
    Mas, de facto, nunca disse ao meu Filho que, além do beijinho à educadora/auxiliar, deveria dirigir um cumprimento específico aos colegas, além do até amanhã geral... Acho que tem razão, tem toda a razão!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. olá GdP. o que aconteceu as primeiras vezes que o meu filho dizia "até amanhã amigos" é que ninguém lhe respondia. ele virava-se para mim e dizia "mas pai, eles não ouvem". eu dizia-lhe "não faz mal filho, eles não ouvem mas sentem. por isso deves dizer sempre". hoje em dia, já alguns lhe respondem. e alguns até lhe vêm dar um abraço. changing the world one kid at a time. :) e obrigado.

      Eliminar
  2. Subscrevo na íntegra! Cada vez se vê mais falta de educação e de civismo neste povo! É TRISTE...

    ResponderEliminar
  3. Muito obrigada por partilhar....é que eu pensava que era a única a irritar-me com esse tipo de comportamentos e que afinal as pessoas tinham razão quando diziam que eu tenho mau feitio. Afinal, não sou a única e este post veio confirmar que "estamos" certos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. olá e obrigado eu. também tenho por vezes essa reputação. às vezes nós que queremos que as coisas mudem para melhor temos esse defeito. temos mau feitio e somos embirrantes. :) enfim, não podemos ser perfeitos.

      Eliminar
  4. Também detesto falta de civismo e quantas vezes respiro fundo para não me aborrecer! Enfim! Mas nesses casos em continuo sempre a dizer Olá/Bom dia! Não deixo de fazer o que acho correcto. Excelente dia com muitos bons dias! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. olá e obrigado. :) é isso mesmo. (iwanttobakefree é genial, by the way).

      Eliminar
  5. É engraçado como me cruzo tantas vezes com as tuas opiniões. De facto, o espelho das crianças está nos pais e deparo-me com isso todos os dias na escola do Manel.

    Quem sabe se muitos desses pais, não foram, um dia, bem educados e depois de levarem com as manadas de indiferença, resolveram seguir o mesmo caminho?

    Eu quero seguir o caminho cool da educação e ser sempre educada e passar isso ao Manel.

    És O Pai :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. olá e obrigado Mariana. pode até ter acontecido que tenham resolvido seguir o mesmo caminho depois de umas quantas patadas. but the kids are watching. always watching. and learning. :) e eu não acredito no "se não os consegues vencer junta-te a eles". eu acho sempre que os consigo vencer.

      Eliminar
  6. Viva,
    Não posso deixar de partilhar aqui a minha quota parte de "ótária" bem como do meu filho. Há muito boa gente que vive demasiado virada para o seu umbigo e mesmo perante uma gentileza é incapaz de retibuir uma palavra ou esboçar um sorriso. Acredito que pelo exemplo vamos lá. Mas custa, custa fazer de porteiro invisível e de tantas outras coisas. Eu não esqueço que até o motorista do transporte público é um ser humano e que se não fosse ele, eu ia a pé. Por isso, sempre lhes dirijo o meu dia e boa tarde, com um sorriso

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. olá Cristina. é isso mesmo. :) obrigado.

      Eliminar
  7. Viva!

    Para reforçar o que disse: já me tem acontecido mais do que uma vez segurar a porta para alguém passar, a criatura passa e como não agradece , eu digo "obrigad@" e que me responderam? ...."Ah, de nada!"

    Tudo de bom

    ResponderEliminar
  8. Olá
    Entendo muito o que queres dizer...mas não sei até que ponto confundimos a falta de educação com timidez...isso acontece nos pais e nos filhos...

    Obrigado

    Gosto muito, muito do que escreves :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. olá :) quando digo bom dia ou olá directamente a uma pessoa e ela me ouve ou me olha na cara e não responde e me vira as costas, a mim parece-me mais falta de educação. Quanto a estar a segurar a porta para passarem e não dizerem sequer obrigado, a mesma coisa. é só uma palavra. simples e básica mas que faz a diferença. não estou a pedir para se despirem ou fazer o pino. compreendo que hajam pessoas tímidas que possam não ter a iniciativa de dizerem olá. mas quando se lhe dirige a palavra, as pessoas tímidas bem educadas respondem. também aceito que por vezes as pessoas andem distraídas ou a pensar noutras coisas. mas quando é por sistema e constante, só pode ser outra coisa. mas isso é só o que acho. e obrigado pelas simpáticas palavras. :)

      Eliminar
  9. mais uma vez muito bom gostei...muito bem escrito muito bem apresentado e criticado...
    ainda bem que há pessoas bem educadas, humildes e boas...
    ainda bem que há pessoas que conseguem de uma maneira muito agradável dizer o que está bem e o que está mal nas atitudes dos outros...
    uma das coisas que sempre reparei é que quem não o faz, não diz "obrigado/a", "Olá", "bom dia"...e por ai fora, ainda olha de alto e critica a boa educação que os outros vão tendo...devem ter receio de responder se calhar com medo que lhes cobrem qualquer coisa!! a falta de boa educação em Portugal começou a ser para alguns "bem vista" como é a arrogância e a falta de humildade...enfim enfim

    obrigada!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Maria. Obrigado pelo comentário e pelas palavras simpáticas. :)

      Eliminar
  10. Olá! Muito bem dito!Concordo plenamente com tudo o que disse e obrigado por dar ver e reclamar a falta de cidadania que por vezes existe numa dita comunidade!Obrigado

    ResponderEliminar
  11. Gosto sempre de o ler e acho que tem toda a razão. Revi-me tanto neste seu post! Aliás, a simpatia é das qualidades que mais admiro nos outros e se estiver aliada à educação, então teremos a junção perfeita. E há tanto trabalho que se faz no Jardim-de-Infância e na escola em geral (sou mãe de três filhos e Educadora de Infância também!) que não "aparece nas paredes".... e talvez seja o mais importante de todos! Um beijinho!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Paula. Concordo em tudo com o seu comentário. Obrigado. :)

      Eliminar
  12. Infelizmente, no que toca a civismo, simpatia e educação, Portugal ainda é muito primitivo. Noto essa falta de respeito, não tanto nessas situações, visto que não tenho filhos, mas quando trabalho no verão: normalmente, os superiores não dizem "por favor" ou "obrigado", palavras que acho essenciais, seja em que tipo de relação for. Conheço várias pessoas que viveram noutros países e voltaram para Portugal e confirmam que, realmente, há um maior respeito entre as pessoas nesses locais que não há em Portugal. É triste, mas é assim mesmo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Gabriela. :) Obrigado pelo comentário.

      Eliminar
  13. Olá, aí está um belo texto e óptimo exemplo :)
    Onde vivo as palavras que mais oiço e digo são hello, please e thank you. No geral acho as pessoas bastante educadas e isso é muito importante. No entanto compreendo o que a "Profissão Mãe" quer dizer, acho que a timidez cria grandes barreiras e às vezes não deixa que as pessoas mostrem o que realmente sentem.
    Por vezes pode ser timidez...mas há outras em que se vê que é mesmo arrogância e falta de educação!

    Também vivi em Alfama, que é o sítio onde mais me sinto em casa, e às vezes preciso mesmo de ir lá matar saudades.
    Boa noite

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Diana. Sim, compreendo também o que diz a Profissão Mãe. No entanto, não é das pessoas tímidas que me refiro no post. É mesmo dos outros. :) Obrigado pelo comentário.

      Eliminar
  14. Aaaahhhh como é bom viver nos confins do Algarve!! Há bons dias, beijinhos de olá, adeus, até amanhã, abraços á chegada e á partida.. Tb se vê mal educados mas aqui a malta tem língua afiada e respinga logo uma chamada de atenção á má educação.. Um sorriso faz milagres e solta a educação que existe nos outros ;) é o meu lema..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Margarida. Um sorriso pode mesmo fazer a diferença. :) Obrigado.

      Eliminar
  15. Fico orgulhosa por seres assim!!!! E por continuares com o teu príncipe os ensinamentos que te transmiti! E já agora, continuando com a falta de educação e civismo: quando entras num consultório médico, centro de saúde, etc. dizes bom dia e ninguém te responde... eu faço questão de repetir em voz bem alta! Fica tudo a olhar para mim...

    Mami

    Mami

    ResponderEliminar
  16. Existem pessoas para quem um simples olá ou um modesto obrigado equivalem a uma transferência bancária no valor de 38924230481904801293801238120938120 milhões de euros. Como tal, preferem guardar para si.

    homem sem blogue
    homemsemblogue.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  17. Também gosto muito da frase "com licença", que utilizo com regularidade quando pretendo passar e tenho um/a emplastro especado em frente a atravancar a passagem... regra geral obtenho um "também vou passar" como resposta, cuja ligação directa ainda não consegui entender :) ...mas, eu pertenço ao grupo dos "simplórios" que adoram dar os bons-dias ao condutor do autocarro, gosto de ser recebida com um "como tem passado?!" na mercearia do bairro, e despeço-me com um "passe bem e até amanhã" ao senhor que encerra a porta à minha passagem, depois de lhe agradecer o facto de gentilmente ter aguardado que eu o fizesse primeiro, só porque pertenço ao "sexo delicado"... e que bem que me sabe ser assim... porque delicadeza e simpatia, temperados com um sorriso pela manhã, dão-me energia para enfrentar o mundo de "parolos" que me rodeia!
    Bjs PAI Rui ;)

    ResponderEliminar
  18. Vou contar uma história gira, vou tentar ser breve. O meu filho entrou este ano na primeira classe, tem uma doença rara e é ligeiramente autista mas muito educado. Há uns dias uma coleguinha da sala ficou doente e esteve de sexta a terça sem ir à escola, quando voltou o meu filho foi ter com ela, perguntou-lhe se estava melhor e deu-lhe um grande abraço, a mãe da menina assistiu e fez questão de me esperar um dia para me contar isto. A miúda, naquele dia, quando ia para a cama disse à mãe o "R" deu-me um abraço mãe, porquê? A mãe perguntou-lhe se mais algum colega o tinha feito, como a resposta foi negativa a mãe disse-lhe que apesar de ser especial o "R" sentiu a falta dela e mostrou-lhe isso naquele abraço. Contou-me isto com os olhos cheios de lágrimas e perguntou-me como é que eu eduquei o meu filho e eu respondi "Como se educam todas as crianças!"

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. olá e obrigado pela partilha da história. Parece-me que o "R" é especial sim, mas porque tem um coração grande.

      Eliminar
  19. Tenho seguido o seu blog desde que fui mãe (desde Fevereiro deste ano) e tenho adorado a forma como educa e transmite valores ao seu filho. Espero ser uma mãe tão boa quanto você é pai.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá e obrigado Cláudia. estou longe de tomar sempre as decisões mais certas. é o meu primeiro filho. vou fazendo o melhor que sei. e vou aprendendo pelo caminho. assim como ele. o que sei é que adoro o meu filho. e isso é que faz de mim um bom pai. e tenho a certeza que adorando o seu filho também é a melhor mãe. :)

      Eliminar
  20. Gostei muito do post, disse tudo aquilo que eu própria constato diariamente na escola do meu filho. No meu caso, vivo numa pequena cidade, a chamada "província", e no entanto, o que relatou acontece diariamente, a falta de educação está em toda parte, e abrange todas as camadas sociais, infelizmente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá. Sim é verdade, está um pouco por todo o lado. Obrigado pelo comentário. :)

      Eliminar
  21. Arminda Marques07/04/2014, 19:17:00

    Hoje em dia acontece a toda a hora. Estou de acordo contigo em tudo o que escreveste . As pessoas neste país estão a ficar cada vez mais mal educadas . Curiosamente quando vou ao mercado encontro pessoas analfabetas com boa educação. Bom dia, obrigada, bom fim de semana . Há tempo fiz o mesmo no Banco " obrigada " como não respondeu quase que gritei OBRIGADA. Não me conformo com tanta falta de educação.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. olá Arminda. ainda ontem aconteceu na escola do meu filho. é diariamente. o que significa que não só são mal-educados como não lêem o meu blog. inadmissível. :) obrigado pelo comentário.

      Eliminar
  22. Olá :) Demorei a vir cá, que os últimos dias têm sido intensos, mas não podia deixar de concordar contigo.

    E agora conto-te uma história. Na altura em que trabalhei numa escola, tentava transmitir esse tipo de educação aos miúdos, à qual chamo cuidadosamente de "primária". Tive muitas chatices, era a garota mais nova, era psicóloga estagiária que "tinha a mania de ensinar danças" e, ainda por cima, estava armada em grande, a ensinar o que era o respeito. Naquela escola, era bem mais do que a psicóloga estagiária, era pau para toda a obra e fazia o que calhasse, mesmo que isso fosse supervisionar os trabalhos de casa, controlar os recreios, substituir professores ou "tomar conta" dos miúdos que ficavam à espera dos papás na escola até horas indecentes.

    Um dia, tive a ideia parva de fazer um debate sobre esse tema, o respeito, naquela que era conhecida a pior turma da escola. A turma do 4º A era temida pelos professores, pois tinha os alunos mais teimosos, mais insubordinados, desobedientes e indisciplinados. Atenção: era uma escola pública bem cobiçada pelos pais com dinheiro, não só pelas médias positivas que tinha na educação dos mais pequenos, mas também pela fama da educação acertada e dos bons costumes. Basicamente, aqueles miúdos do 4º A estavam habituados a ter tudo do bom e do melhor, tinham os pais mais abonados e as costas permanentemente quentes, pois sabiam também o quanto eram temidos e limitavam-se a fazer aquilo que queriam. A minha ideia surgiu quando um deles me começou a imitar nas costas, gozando com os meus movimentos. Ora, a minha ideia não podia ser mais ridícula, um debate sobre um tema que eles não conheciam, que não tinham como conhecer.

    E sabes o que foi melhor? Foi o entusiasmo destes miúdos a quererem saber mais sobre respeito, a lerem, a comentarem, a discutirem. Foi o abraço final que recebi da turma mais temida da escola, depois daquele dia. E, sim, os pais quiseram-me chatear, mas, depois de perceberem o que se tinha feito, bastou-me os "parabéns" de um daqueles pais-cheios-de-manias para eu sentir que algo tinha mudado.

    Custa-me muito esta falta de "educação primária". Mas gosto de pensar que haverá mais gente como eu nas escolas. :) (desculpa o testamento!)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. olá Raquel. obrigado pela partilha da tua história e o teu contributo. :) e não tens de pedir desculpa de nada. és sempre bem-vinda.

      Eliminar
  23. Olá,
    Leio o "Pés no Sofá" sempre que posso, nunca comentei, hoje é o dia: gostaria de felicitá-lo pela sensibilidade e bom senso que espelha a sua escrita e na sua forma de estar.
    Adorei o que escreveu, sinto-me acompanhada na perplexidade das faltas de educação com que nos cruzamos diariamente, a falta de visão periférica e audição (sentido literal) que os adultos têm e transmitem aos seus filhos, inquieta-me. Inquieta-me quando não são capazes de perceber os pequenos passos dos meninos que correm alegremente na direção do portão do colégio, e o largam assim, na cara dos mais pequenos, ou quando um dos meus filhos segura o mesmo portão, do alto dos seus cinco anos e cede gentilmente a passagem a uma mãe com uma criança ao colo e esta o ignora por completo, aqui fica tão difícil...ou evitar ler aos meus filhos, um letreiro afixado à entrada do colégio, que pedia encarecidamente aos pais que não estacionassem em frente aos portões das moradas envolventes, impedindo assim a saída...até que um dia, o mais crescido, ainda silabava, lá juntou as letras e acabou por me perguntar: os crescidos não sabem isto?!...
    E quando terminaram o ensino naquele colégio e os pais resolveram fazer uma festa de despedida com oferta de presentes a professores e diretores e ignoraram/tentaram ignorar os restantes funcionários, como se estes fossem imunes a agradecimentos e a dedicatórias....foi difícil, mas contrariamos, lá de casa saiu uma mensagem individual a cada funcionário, aos que ajudaram a comer, aos que deram os bons dias aos que os transportaram em segurança, aos que os ajudaram a apertar atacadores quando não sabiam...a TODOS! Ainda ouvimos: não será demais?!
    É tão difícil educar assim...fazê-los sentir que o respeito faz todo o sentido e que não, não são "alliens" por ceder a passagem a alguém, por segurar uma porta, por dizer bom dia, obrigado, desculpa, etc.
    Já me alonguei, peço desculpa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. olá Sónia. obrigado pelo seu comentário e partilha de valores. e não tem de pedir desculpa de nada. é bom saber que há pessoas que ainda se preocupam. :)

      Eliminar
  24. Olá! Vim do "aniversário" do HsB espreitar o que para aqui havia... e gostei! Escolhi este post para comentar porque... ora, não sei muito bem porquê, mas cá vai o meu comentário.

    Tenho três filhos (de 7, 6 e 4 anos) e sou professora do 1º Ciclo (antiga primária). Tento que os meus filhos sejam educados, através do que ensino e sobretudo do bom exemplo. No entanto, acho que nunca lhes disse para se despedirem especificamente dos colegas, digo-lhes para se despedirem de toda a gente "no mesmo saco". Nunca me ocorreu e, honestamente, não acho necessário (mas não tenho nada contra!).

    Por outro lado, na escola, eu tinha uma aluna que ao entrar na sala quando lá estava eu e outros colegas, dizia: "Bom dia, professora!" Aí, eu fiz questão de chamar a atenção para o facto de estarem mais pessoas presentes e ela dever cumprimentar toda a gente, dizendo, por exemplo: "Bom dia a todos!". E hoje estou contente, porque ela agora entra, olha para mim e cumprimenta toda a gente! É como disseste: "changing the world, one kid at a time"... :-)

    ResponderEliminar
  25. Verdade verdadinha! Adorei! Na escola da minha bebé isso nunca me aconteceu, toda a gente está sempre muito sorridente, mas na cidade, por todo o lado há gente com cara de pau e que vive centrada no próprio umbigo. O trânsito é um dos melhores exemplos, ninguém cede um centímetro de asfalto, e a falta de civismo impera. Mais vale atropelar do que parar. É triste porque reflecte a nossa cultura, afinal isto é quem somos. Aproveito para dizer que adoro este blog, parabéns!

    ResponderEliminar
  26. Sou dona de uma loja e praticamente todos os dias fico sem resposta quando brindo as pessoas que entram na minha loja com um audível e simpático "Bom dia" e "Boa tarde". Quando viram costas e saem sem dizer nada, despeço-me sempre com um audível e simpático "obrigada e bom dia" ou "obrigada e boa tarde". No fundo, a má educação da falta de resposta só faz sentir quem está deste lado como se fosse um fardo de palha... Há gente que bebeu pouco chá, é isso. Eu bebo todas as noites, graças a Deus. :)

    ResponderEliminar
  27. Este é um tema que mexe comigo. Como concordo com este post. É incrivel a quantidade de má educação e falta de civismo neste país. Quantas vezes não dou por mim a segurar nas portas para as pessoas passar sem um obrigado, a ver pessoas a entrar no elevador à minha frente quando eu já estava à espera, quantas vezes dou passagem a um carro no trânsito sem sequer um aceno do outro lado (suspeito que alguns do outro lado ainda se vangloriam por serem tão "desenrascados"), a atirarem lixo para o chão com um caixote mesmo ao lado, a estacionarem em lugares resrevados a deficientes. É triste, mas o que é que eu faço? Rosno um bocado e da próxima vez faço o mesmo, porque foi assim que fui educada, e os meus pais tem a 4º classe e vêm de uma aldeia por isso não é uma questão de classe social. Acho até que as classes mais altas são muitas vezes mais mal-educadas no que diz respeito ao tratamento com os outros. Concerteza que não sou nenhum primor na educação mas faço por isso, e cultivo-o nos meus filhos. Se querem algo têm de pedir por favor e obrigado. Se lhes peço algo também peço por favor, porque a educação funciona nos dois sentidos. So para acabar que já vai longo, a minha filha mais velha teria 2 anos na altura, ia com ela, num autocarro, espirrei, ela diz santinha mãe, eu digo obrigada, ela diz de nada. Simples não é? Uma senhora ao lado achou extraordinário ela dizer aquilo com 2 anos. Para mim nãoé. Devia ser o normal.

    ResponderEliminar
  28. Olá e obrigado por me abrir os olhos... realmente costumo dizer as minhas filhas para se despediram da educadora e da auxiliar mas nunca me lembrei de lhes pedir para se despedirem dos colegas.... Parabéns por ser um óptimo exemplo!

    ResponderEliminar
  29. Nao podia concordar mais e devo dizer que as tuas palavras ao descrever o nosso pais estao mais do que certinhas. E' o pai de m*rda que infelizmente. No entanto e' como dizes o pessoal que nao nada em dinheiro ainda sao os mais educados por incrivel que pareca. E agora deixa-me que te diga, desde que me mudei para Inglaterra foi sempre uma das coisas que mais notei, a educacao... seja para que idade for ou classe social. Tambem temos gente rude, nao sejamos inocentes. Mas ha realmente uma diferenca em termos de educacao, que eu propria ganhei enquanto cidada de Inglaterra e hoje sempre que vou a Portugal, sou capaz de usar um por favor, obrigada, ola, e as pessoas ficam parvas a olhar para mim inclusive a minha familia! Como se isto nao fosse uma coisa natural entre nos, sociedade. Enfim!
    Desculpa os erros de acentuacao, mas escrever num teclado ingles tem destas coisas.
    xx

    ResponderEliminar
  30. Não podia estar mais de acordo com este post.... Vivemos numa sociedade em que cada vez menos as pessoas se cumprimentam à chegada, se despedem à saída, dizem "se faz favor" ou "obrigada"...

    Posso dar um exemplo do que se passou no último fim de semana, aquando uma ida a uma sapataria, depois de pagar os sapatos, agradeci, desejei um bom fim de semana, sempre com um sorriso na cara e enquanto tudo isto se desenrolava a funcionária virou-me as costas, pegou no telemóvel e começou a martelar o que deveria ser uma mensagem e não me respondeu........
    A minha pimpolha de 7 anos repetiu por duas vezes um "bom fim de semana" e nada... não obteve qualquer resposta por parte da senhora e por isso olhou para mim com um olhar cheio de dúvidas: a senhora seria surda? Porque não respondeu?

    Sem sair do balcão, olhei para a minha filha e disse: "Sabes, este é um exemplo de uma pessoa mal educada e de como a mamã não quer que sejas! Quando alguém falar contigo deves sempre olhar para a pessoa e sempre que saíres de algum sítio, mesmo que de uma loja, deves despedir-te das pessoas, neste caso com um bom fim de semana".

    Posto isto a minha filha respondeu-me no alto dos seus 7 anos: "Mamã vou ser sempre muito bem educada como me ensinas. E mesmo quando já tiver idade para ter telemóvel, vou sempre responder a quem falar comigo!".

    Olhei e a dita senhora estava de boca aberta a olhar para nós... Voltei a desejar uma boa tarde e saímos para continuar o nosso passeio...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostei muito do seu comentário. Acho que fez muito bem.

      Eliminar
  31. Tenho uma filha de 3 anos e faço questão que ela seja educado com os outros. "Coisas" como bom dia, boa, tarde, olá, obrigado, se faz favor, são praticas diárias que tento todos os dias passar-lhe mas acima de tudo o mais importante é não ser indiferente aos outros. Se calhar é porque nasci em ALFAMA, bairro essa que desde pequeno nos ensinam e repetem vezes sem conta frases que passo a citar: Dá-te ao respeito para seres respeitado. A tua liberdade acaba quando começa a dos outros e vice-versa e uma que faço dela lema de vida - Já que não dá para multiplicar, divide-se... Parabéns pela blogue e forte abraço para ti e para a tua FAMÍLIA porque essa sim é a palavra mais linda da vida...

    ResponderEliminar