05/12/2013

COMO TER UM FILHO EM 3 PASSOS DIFÍCEIS. PASSO 1: FAZÊ-LO


Ter um filho. Parece fácil. Umas velas, CD da Sade, garrafa de pinot noir. Ou então um capot de um carro numa noite de verão. E pronto. É esperar 9 meses e voilá. Fácil, né?

Nope. Nem por isso. Sim, felizmente para muita gente ter um filho é quase assim tão fácil. O maior contratempo é falhar no signo que se quer para o filho por apenas 2 dias, os quilos a mais que teimam em ficar ou a decisão de epidural ou não na hora H. Mas a verdade é que nem sempre é assim.

Para nós não foi bem assim. Durante os próximos 3 posts, vou explicar como é que se tem um filho em 3 passos difíceis. Vamos lá pelo princípio.

Passo 1: Fazê-lo.

Ah. A parte fácil e fun disto tudo, né. Basta deixar de tomar a pílula e cá vai disto. Nah. Isso assim era fácil demais. E não, não foi com CD da Sade, nem do Barry White. Não houve nenhuma garrafa especial de pinot noir reservada. Foram dias e noites a fio nisto, senhores e senhoras (yehaaa). Passou-se 1 mês, 2 meses, 3 meses, 4 meses... 1 ano, 1 ano e 1 mês, 1 ano e 2 meses... Epá, eu sinceramente perdi-lhe a conta. Nos primeiros tempos não se liga. Depois devagarinho começa-se a pensar "será que está tudo bem". Depois volta-se a tentar abstrair e a não pensar no assunto. Depois experimentam-se chás, vitamina E, barbatana de tubarão e rezas. Porra, se eu não o quisesse vinha de mão dada com a cegonha bater-me à porta. Pelo caminho experimentámos todas as posições possíveis e imaginárias. No princípio porque somos kinky. Mas depois já era para tentar encontrar a posição ideal para a fecundação. Tudo o que é de pernas para o ar é o ideal diz-se. Ainda bem que faço yoga, é o que tenho a dizer. Depois sempre que encontramos alguém conhecido na rua, lá vem a puta da pergunta "então e filhos, não vêm", "para quando um bebé", "já estão casados há 1 ano", "se começam a pensar muito depois nunca mais", "vá, só faltam vocês".
Epá, obrigado pela preocupação e pelas palavras de motivação. Sério. A todos. Mas f#$*-se, acham mesmo que preciso de motivação para fazer um filho com a minha mulher? O que eu preciso é que os meus espermatozóides deixem-se de merdas, encontrem o óvulo dela e entrem lá de uma vez por todas. Sem cerimónias nem "com licença". Ou então que o óvulo dela deixe de se fazer de difícil. Isso é o que preciso. Agora preciso lá de "então e filhos?" ou "vá, vamos, força que eles não aparecem sozinhos".
Depois de muita tentativa, muitos testes de gravidez, reclamações dos vizinhos e com ajuda divina: o resultado positivo. Recebi a notícia através de um gorro de bebé a dizer "I Love Dad". Foi um dos momentos mais felizes da minha vida. Finalmente podia descansar. E os vizinhos também.
Foi fun, lá isso foi. Mas fácil é que não foi. Agora experimentem lá perguntar-me "então e pra quando o segundo", que eu já vos atendo.

7 comentários:

  1. Parabéns.

    É, a pressão social é enorme e não deve ajudar mesmo nada.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  2. Não cheguei a perceber se tinham algum problema diagnosticado ou se foi só "não acontecer". Também não é relevante, o que lá vai lá vai. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. a meu ver, ter um problema tínhamos. senão não tinha demorado tanto. a probabilidade não é suposta ser tão difícil como calhar o euromilhões. mas calhou-nos. e hoje somos milionários. :)

      Eliminar
  3. A pressão social não é realmente o ideal...

    ResponderEliminar
  4. a pressão social não me incomoda tanto. é mais acharem que preciso de motivação para o fazer. hahaha.

    ResponderEliminar
  5. Só agora dei conta disto. Descreve tão bem! Agora vou ali partilhar, que visões masculinas sobre o assunto são uma pérola.

    ResponderEliminar